Buscar
  • Mariana Macedo

Episódio 14 - Data Driven Design, Cidades & Saúde - Carlos Marchi - Allower

Atualizado: Jun 16

Quem está experimentando? O corpo. Quem está inventando? Ele. E quem flutua, corre e voa, intoxicado por arcanjos quando a intuição feliz o banha e o faz levitar? O corpo, sim, o corpo novamente - Michel Serres



O termo “smart city” tem sido amplamente usado nos últimos anos para se referir às cidades que adotam a tecnologia digital, que permitem melhorias mais rápidas no gerenciamento local e planejamento urbano. Para que essas cidades continuem sendo "inteligentes", elas costumam implantar uma variedade de sensores (IoT) para coletar dados. Esses dispositivos, por sua vez, geram uma série de dados que precisam ser interpretados e organizados. Portanto, as partes interessadas das cidades inteligentes precisam de ferramentas de visualização adequadas para descobrir estruturas, padrões e características dos conjuntos de dados acumulados. E é justamente com isso que o Carlos Marchi trabalha.



O Carlos Marchi é arquiteto urbanista, com mestrado científico em estratégias urbanas – arquiteturas avançadas pela Universidade de Artes Aplicadas de Viena e MBA com foco em economia pela FGV-Eaesp (Brasil). Atualmente ele é professor e pesquisador no departamento ATTP da Universidade Técnica de Viena e é sócio-fundador da Allower, onde desenvolve projetos e consultorias em Urban Data Science na Áustria, Suíça, Holanda e Brasil.


Falamos de alguns cases onde o Carlos utilizou essa nova forma de se trabalhar, Urban Data Science. Em um exemplo, os dados coletados, dentro do contexto urbano, relacionados a percepção humana foram usados para levar a um maior desempenho das lojas. Essa nova metodologia de trabalho permite os projetistas planejarem ambientes mais sustentáveis, resilientes, habitáveis e saudáveis. O que nos leva a perceber que a crescente complexidade das tarefas contemporâneas de projeto leva os métodos tradicionais a seus limites



Links:


175 visualizações